O que o WiFi realmente representa? Uma breve história…



O que significa a palavra Wi-Fi? Como veio a ser? E existe uma maneira certa e errada de escrevê-lo? Vamos descobrir…


A maioria das pessoas usa WiFi todos os dias. Seja em casa, no trabalho ou no café local, as redes WiFi são usadas por bilhões de pessoas todos os dias. Mas a maioria das pessoas não faz ideia do que o WiFi realmente representa. E se eles acham que sabem, geralmente estão errados.

A história de como o nome WiFi surgiu é realmente bastante interessante. O aspecto mais interessante sobre a gênese do termo WiFi é que, ao contrário da opinião popular, NÃO significa “fidelidade sem fio” – embora muitos geeks genuínos argumentem que sim.

Então, se WiFi não significa “fidelidade sem fio”, o que significa? Vamos investigar isso mais a fundo e chegar ao fundo da história e significado da palavra WiFi um por todos…

O que significa WiFi?

A maioria das pessoas assume que WiFi significa “fidelidade sem fio”, mas esse não é realmente o caso. A palavra WiFi em si não significa nada. Por quê? Simples: não existe “fidelidade sem fio”. A frase WiFi foi, na verdade, cunhada pelo pessoal de marketing para se referir à tecnologia que alimenta as redes sem fio, IEEE 802.11.

Agora, o IEEE 802.11 não sai exatamente da língua. E certamente não ficaria muito bem em grandes e extensas campanhas de marketing na Times Square e em anúncios de revistas brilhantes. E isso representava um problema. Para comercializar redes sem fio antigamente, o pessoal de marketing precisava de um termo mais curto, mais sexy e fácil de lembrar.

O que o WiFi realmente representa
  • Salvar

Fidelidade significa – na maioria dos casos – lealdade ou suporte contínuo. Antes do lançamento do WiFi, as redes de internet não eram conhecidas por sua confiabilidade. O WiFi queria mudar isso e o pessoal de marketing queria conotar um significado de confiança na marca dele, então o termo Wireless Fidelity foi sugerido. As pessoas gostaram, responderam bem nos testes, então o nome pegou.

Mas, para parecer e soar mais técnico, o termo foi abreviado para WiFi. E o nome pegou. Mas a fidelidade sem fio em si não é uma coisa, é apenas uma maneira mais palatável de dizer IEEE 802.11. E quando se trata de marketing, palatável – especialmente quando você está promovendo uma nova tecnologia – é o nome do jogo.

O que veio antes do WiFi?

Se você tem idade suficiente para se lembrar de um mundo sem WiFi, saberá exatamente o que veio antes da internet sem fio. Chamava-se internet discada e funcionava da mesma maneira que a internet funciona agora, só que com internet discada você ficava preso em um único terminal - a discagem exigia uma conexão direta do roteador ao seu PC.

A internet discada funcionava através de sua linha telefônica e, na maioria das vezes, era dolorosamente lenta. Quão lento? Põe desta forma: abrir uma imagem na discagem pode levar até cinco minutos, dependendo do tamanho, enquanto agora as imagens são carregadas instantaneamente. Em meados dos anos 90, porém, era assim que a internet funcionava. Não havia Google e as velocidades de download eram terríveis.

o que significa wi-fi
  • Salvar

Ah, e se alguém estivesse usando a internet em sua casa, você não poderia usar o telefone da casa. Esse fato por si só fez da internet discada uma das maiores causas de brigas entre pais e adolescentes durante os anos de 1995 a 2000. Como alguém que viveu isso pessoalmente, só posso dizer que foi problemático.

No início dos anos 2000, banda larga e o WiFi começou a se tornar mais popular, substituindo gradualmente a internet discada. O salto nas velocidades da internet discada para a banda larga foi significativo. Na verdade, essa única mudança provavelmente gerou trilhões de dólares apenas para as economias globais – fez economias inteiras funcionarem mais rápido.

Velocidades Dial-Up vs Banda Larga – Qual é a Diferença?

As velocidades de internet discada eram limitadas, mas não apenas em relação à sua velocidade geral. A maioria dos roteadores dial-up só suporta velocidades de internet de 56K, graças à natureza dos sistemas telefônicos. Mas para que a internet tivesse sucesso, as coisas tinham que mudar. E foi aí que a banda larga entrou na mistura.

Com a banda larga, a internet era entregue de uma forma completamente diferente – embora ainda usasse linhas telefônicas. Você pode navegar na internet e usar o telefone de sua casa. E essa nova forma de internet permitiu que os ISPs começassem a melhorar a velocidade da internet em até 1000% em poucos anos.

E então, é claro, veio dados móveis para telefones, começando com 1G e depois progredindo para onde estamos agora com a ascensão do 5G que, nos próximos anos, pode começar a atingir velocidades inéditas, tornando os jogos 4K em movimento tão fáceis quanto transmitir um filme em casa.


As conexões de Internet de banda larga e discada diferem de várias maneiras. Embora ambos empreguem linhas telefônicas, a banda larga não compartilha uma linha com um telefone. Os usuários não são privados do uso de seu telefone enquanto usam a Internet e não há pagamento à companhia telefônica pelo tempo gasto em uma conexão com a Internet. De fato, com uma conexão de banda larga, a conexão com a Internet é constante – uma vez instalada, a conexão nunca é interrompida, então tudo que o usuário precisa fazer é abrir uma janela do navegador; nenhum tempo é perdido estabelecendo uma conexão.

ETJ

Internet mais rápida é melhor Internet

Qual é a moral da história aqui? É bem simples: internet mais rápida, seja falando sobre isso em casa ou no celular, é uma internet melhor. A velocidade sempre esteve no coração da internet, cada vez mais, e os aplicativos e usos que nascem dela. Sem velocidades de download rápidas, não teríamos streaming da Netflix ou coisas como o YouTube.

E a internet rápida para sua casa também nunca foi tão barata. Agora você pode acesse banda larga ultrarrápida por uma fração do custo que costumava ser, desbloqueando velocidades de 1 Gbps em algumas áreas. E se você tem Internet 1Gbps, você nunca mais precisará se preocupar com velocidade.

  • Salvar

Richard Goodwin

Richard Goodwin trabalha como jornalista de tecnologia há mais de 10 anos. Ele é o editor e proprietário da KnowYourMobile.

Continue lendo

Compartilhar via
Link de cópia
Distribuído por Snap social